DANÇANDO SOBRE CACOS DE VIDRO – KA HANCOCK

Editora: Arqueiro
Páginas: 329
Ano de Lançamento: 2013
Título Original: Dancing on Broken Glass

Mickey Chandler é um rapaz aparentemente normal, que leva uma vida tranquila, mas só quem o conhece de verdade sabe do problema genético seríssimo que ele tem: transtorno bipolar. Ele sempre conta com o apoio e a compreensão de amigos próximos e tenta sempre se tratar, tomar cuidado para não entrar em crise. Às vezes dá certo, outras, nem tanto.

Lucy Houston tem histórico de câncer de mama na família. Sua mãe e sua avó morreram assim, então ela e suas duas irmãs estão sempre fazendo exames, temendo que apareça algo. Elas estão sempre unidas, principalmente depois da morte dos seus pais.

Até que um dia os caminhos de Lucy e Mickey se cruzam e eles acabam sentindo uma atração muito grande. Eles contam um para o outro o problema que cada um tem, para deixar tudo a panos limpos, mas, quando eles menos percebem, já estão apaixonados, um amor que não deveria acontecer, já que os dois têm doenças tão graves, principalmente no caso de Mickey, onde ele pode perder a cabeça a qualquer momento. Mas essa é a essência do amor verdadeiro: aceitar o outro do jeito que ele é e estar ao lado dele em qualquer circusntância.

“(…) Ele também recomenda que haja alguém em nossa vida em quem possamos confiar para nos avisar quando estamos perdendo o controle. (…)
(…) as chances de encontrar alguém realmente disposto a exergar o homem que se esconde por trás de todos esses sintomas são quase nulas. 

Então, dizer que Lucy Houston me deixou perplexo seria um grande eufemismo.”

E é disso que o livro vai tratar. De companheirismo, compreensão, aceitação, amizade, união, provação e, principalmente, do amor, na sua forma mais pura.

Dizer que eu amei esse livro é pouco. Ele, com certeza, foi uma das melhores leituras do ano, se não da vida! É aquele tipo de estória que te emociona, te faz refletir… É o tipo de livro que todo mundo deveria ler e tirar como exemplo para a própria vida, para parar de reclamar dos problemas que tem e lembrar que tem pessoas passando por situações piores e que mesmo assim dão um jeito de dar certo.

“(…)E depois de descobrir todas as minúcias da sua estranheza e de identificar todos os seus componentes, não vi uma única razão boa o bastante para não amá-lo. Entregamos, um ao outro, nossas personalidades imperfeitas e juramos criar algo maior que cada um de nós individualmente, convencidos de que éramos capazes de realizar nossos sonhos.”

Enfim, não quero falar muito para não estragar essa estória linda. Se você quer uma leitura diferente, tratando de assuntos reais e que ao mesmo tempo vai te fazer suspirar, vá em frente! Livro mais que recomendado!

Beijos, beijos!