O PESADELO – LARS KEPLER

Editora: Intrínseca
Páginas: 445
Classificação: 5/5

Após conquistar os leitores em O hipnotista, o detetive Joona Linna está de volta em O pesadelo. Best-seller internacional, o thriller policial de Lars Kepler foi aclamado por público e crítica em dezenas de países. Agora, o autor nos deixa sem fôlego com um novo quebra-cabeça, cujas peças o detetive mais carismático, intuitivo e obstinado da Suécia precisa encaixar. Tudo começa quando a polícia descobre o corpo de uma jovem dentro uma lancha à deriva no arquipélago de Estocolmo. Seus pulmões estão cheios d’água e os médicos legistas afirmam que ela morreu afogada. No entanto, o barco está em perfeito estado e o corpo e as roupas da mulher estão secos. No dia seguinte, um alto funcionário do governo sueco aparece enforcado em seu apartamento. Ele flutua no ar enquanto uma enigmática música de violino ressoa por todo o ambiente. Tudo indica que foi suicídio, mas o salão tem pé-direito alto e não há nenhum móvel em volta no qual ele possa ter subido. Encarregado de desvendar os dois mistérios, o detetive Joona Linna tenta estabelecer um vínculo entre esses acontecimentos que, à primeira vista, não têm relação. Ao descrever o curso vertiginoso de eventos para os quais a lógica é um mero prelúdio, o mais assustador em O pesadelo não são seus crimes horripilantes, mas a psicologia obscura de seus personagens, que mostram como somos todos cegos a nossas próprias motivações.

Ano passado eu li O Hipnostista, uma estória policial dos mesmos autores e com a mesma personagem principal, o investigador Joona Lima. Quando eu vi que ia sair O Pesadelo, eu não pensei duas vezes e fui lê-lo. Resultado: Os autores conseguiram fazer um thriller ainda mais eletrizante e inteligente, misturando música clássica, guerra civil e exportação ilegal de armas. O livro virou um dos melhores policiais que já li, se não o melhor (já que li poucos). Virei fã do autores, com certeza!

Joona Lima é um dos melhores policiais ficitícios que tive o prazer de conhecer. Em O Pesadelo, o inspetor detetive está com sua intuição e inteligência ainda mais aguçados, ainda mais que no primeiro livro. Muitos o subestimam, mas ele vai, por ele mesmo, atrás de todas as informações, pois não consegue deixar de estar intrigado com os crimes que andam acontecendo. Aos poucos, ele vai montando seu próprio quebra-cabeça, fazendo o leitor pensar junto com ele para descobrir o que estava acontecendo, tornando a leitura ainda maisenvolvente.

Depois de um tempo, uma outra agente se junta a ele. Saga Bauer é uma mulher determinada que faz de tudo para fugir das pessoas que querem protegê-la dentro da polícia, não deixando ela comandar uma investigação ou ir a campo. E sua coragem faz com que ela mostre que todo o treinamento que ela teve valeu à pena. Gostei muito dessa personagem.

Junto com outros agentes, mas principalmente de Saga e de sua própria intuição, Joona Lima vai tentando desvendar o que há por trás de todos esses assassinatos. É algo que te prende do começo ao fim, você fica sempre querendo saber o que vai acontecer, qual a próxima pista. Muito bom!

O livro finaliza cada capítulo com um mistério, alternando cada um deles com uma personagem diferente. Eu adoro esse tipo de narrativa, pois me faz lembrar Dan Brown, um dos meus autores favoritos. Acho que foi por isso que gostei tanto da escrita dos autores e das estórias que ele constroem.

Mais uma coisa que se destaca no livro, como diz a sinopse acima, e que me chamou a atenção, é a frieza por parte do lado do mal. Eles não pensam duas vezes antes de matar alguém ou de, no mínimo, deixá-lo toalmente louco. É bem frio e cruel.

Se me perguntarem um livro policial para ler, eu, com certeza, direi O Pesadelo. Talvez O Hipnotista, também, mas definitivamente O Pesadelo está em primeiro. Ah, aliás, você não precisa ler o primeiro livro para ler esse. É uma sequência, mas não vi muita (ou quase nenhuma) ligação com o primeiro, então podem ler tranquilos.

Uma das músicas citadas no livro. Segundo este, a música de violino mais difícil já composta:

Sobre os autores:

Lars Kepler é o pseudônimo de Alexandra Coelho Ahndoril e Alexander Ahndoril. O casal vive na suécia.

3 pensamentos sobre “O PESADELO – LARS KEPLER

  1. Depois de romances, policial é meu genero preferido. Este parece ser bastante empolgante e tudo que a ed. Intrínseca publica normalmente é muito bom. Vou tentar ler O Hipnostista primeiro pois mesmo não tendo muita ligação como você disse, também já li ótimas resenhas dele.
    Abraços,
    Gisela
    @lerparadivertir

  2. Oie 🙂
    Nossa pelo jeito esse livro parece ser muito bom em 😀 A capa dele é perfeita né ? já que você disse que ele quase não tem ligação com o outro acho que vou comprar 😀 Beijos !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *