A CULPA É DAS ESTRELAS – JOHN GREEN

Nome: A Culpa é das Estrelas
Autor: John Green
Páginas: 286
Editora: Intrínseca
Classificação: 5/5

Em A Culpa é das Estrelas, Hazel é uma paciente terminal de 16 anos que tem câncer desde os 13. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

 
 
 
Sei que não vou conseguir fazer uma resenha à altura do que a estória do livro realmente é. Eu já me emocionei com livros, mas nunca ao ponto das lágrimas. Entretando, esse livro conseguiu trazê-las à tona. Tocou no fundo do meu coração mesmo. Agora sei porquê as pessoas gostaram tanto.

Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros.. Há dias, muito deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.

– Hazel Grace
Hazel é uma garota de 16 anos que mora com seus pais em Indiana, EUA. Sua vida poderia ser normal como de qualquer outra adolescente se não fosse o fato de é uma paciente terminal por causa de um câncer na tireóide com metástase nos pulmões. Sua vida se resume em viver arrastando o Felipe, um carrinho de aço contendo um cilindro de oxigênio que é ligado ao seu corpo que é conectado por um tubo transparente até suas narinas que é o que a mantém viva,(ela o nomeou com esse nome porque simplesmente tinha cara de Felipe), ir para a faculdade (quando sua saúde lhe permite), assistir tv e encontrar-se com um grupo de apoio à pessoas com câncer em uma igreja.
 
Esse grupo era a sua maior ajuda para poder se socializar com outros e para ajudar todos eles a não caírem em depressão por causa da doença. É lá que, certo dia, ela conhece um tal de Augustus Walters, um garoto atraente e com um sorrido torto lindo. Apesar de ele ter tido um câncer nos ossos há um tempo e estivesse SEC (Sem Evidência de Câncer), ele estava no grupo naquele dia acompanhando Isaac, seu melhor amigo e que tinha um tipo raro de câncer ocular.

É depois que Hazel conhece Augustus que lhe dá esperanças de que pode viver a vida de uma outra forma, realmente aproveitando-a. Depois que Augustus apareceu, sua vida começa a mudar e aqueles dias que ela ganhou à mais graças ao avanço da Medicina passaram a ser cada vez mais valiosos. 

A relação dos dois é linda. Gostei do Gus (apelido do Augustus) de primeira. Eles são parecidos e logo passam a se dar bem e a compartilhar um sentimento puro que nasce entre os dois. Todas as situações pelas as quais eles passam juntos só faz com que se aproximem mais.
Não quero dar muitos detalhes mais, pois eu não quero dar spoiler nem nada. O que posso dizer é que foi um livro maravilhoso, que eu realmente fui surpreendida. Me peguei sorrindo e entristecendo diversas vezes durante a leitura. Eu passei a realmente viver a estória criada por John Green.
Aliás, foi a primeira vez que li um livro desse autor e posso dizer que AMEI a narrativa. É simples e rápida. As páginas passam voando e quando você vê já está terminando. Gostei muito.

Quanto mais livros eu leio sobre pessoas que morrem com doenças ou algo do tipo, mais eu penso no quanto devemos aproveitar nossas vidas ao máximo, pois ninguém nunca sabe como será o dia de amanhã. Por isso, vivam intensamente todos os dias.

 

Sobre o autor:

John Green é um dos escritores norte-americanos mais queridos pelo público jovem e igualmente festejado pela crítica. Autor do best-seller do The New York Times premiado com a Printz Medal e o Printz Honor da American Library Association e com o Edgar Award, foi duas vezes finalista do prêmio literário do LA Times. Com o irmão, Hank, mantém o canal do Youtube “Vlogbrothers” (youtube.com/vlogbrothers), um dos projetos de vídeo on-line mais populares do mundo. Mora com a mulher e o filho em Indianópolis, Indiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *