DESTINO – ALLY CONDIE

Nome: Destino
Série: Destino – Livro 1
Autora: Ally Condie
Páginas: 239
Editora: Suma de Letras
Classificação: 3.5/5

Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander – bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade.Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.

Cassia é uma menina normal, com uma família normal, amigos normais.. o único problema é que nem ela nem ninguém podem tomar decisões quando se vive na Sociedade, onde é determinado a hora que você vai dormir, a hora que você levanta, em quê você vai trabalhar, onde você vai morar, quanto e o quê você vai comer, já que a comida é personalizada pra cada pessoa; quando você vai morrer e com quem você deve se casar.
Esse último caso era pelo qual nossa protagonista estava passando. Com 17 anos, a garota tinha o seu Banquete do Par, onde era determinado com quem ela ia viver o resto da vida, pois até nisso a Sociedade fazia cálculos para que o casal fosse compatível e tivessem crianças saudáveis criando, assim, gerações que vivessem longos anos.
No dia do seu Banquete, foi determinado que Cassia iria se casar com seu fiel amigo Xander. Os dois ficam felizes por tal acontecimento e vão pra casa levando seus chips que contém informações sobre o(a) futuro(a) companheiro(a). Ao colocar o chip no computador, Cassia se assusta. Pois, por alguns segundos, aparece o rosto de Ky, um rapaz que estudava na mesma escola que ela e que era uma Aberração, segundo a classificação da Sociedade.
A garota fica sem entender o que aconteceu e se intriga com tal coisa. Mesmo depois de uma Funcionária dizer que o problema foi uma brincadeira de mau gosto, Cassia não se deixa convencer por isso. E é aí que a história realmente começa.
Sem saber ao certo porquê ela começa a aproximar-se de Ky. Aproxima tanto que às vezes chegou a me irritar porque ela parecia não estar mais nem aí para Xander. Era só Ky & Cassia, Cassia & Ky. O coitado do Xander que sempre foi tão legal, fiel e tudo o mais com ela ficou totalmente de fora.
Ky é fofo e sensível. Ele foi adotado pelos vizinhos de Cassia, mas antes ele morava nas Províncias Exteriores, por isso era classificado como Aberração. Por nunca ter tido uma vida fácil, principalmente onde ele morava, ele conhecia coisas que a maioria das pessoas não tinham conhecimento, como a arte de escrever, assim como a caneta e o papel e alguns poemas proibidos.
Bom, toda essa amizade com Ky teve uma coisa boa: ela percebeu o quão ingênua ela era por se deixar depender totalmente da Sociedade. Ky lhe mostra o que a vida tem de bom, ensinando-lhe a escrever, recitando os poemas que conhecia. Foi aí que ele fez os olhos delas se abrirem para o mundo e o sentimento que eles tinham entre si acabou se tornando algo mais forte.
Cassia começa a perceber que um mundo novo, com pessoas mais felizes poderia ser criado se todos pudessem tomar suas próprias decisões, principalmente no amor. E é aí que ela vai em busca de sua liberdade de escolha, onde, com a ajuda Ky e, algumas vezes, de Xander, eles entram em confronto com a Sociedade, buscando respostas sobre o porquê de todo esse controle em cima das pessoas.
A história de amor entre Cassia e Ky é bem legal. Por ser um amor proibido fica mais lindo ainda. Ky é super fofo com ela. Até eu me apaixonaria por alguém assim, mesmo tendo sido colocada pra casar com alguém gentil, bonito e atencioso como Xander.
Não li a série Feios, mas muitos comentaram que lembrava bastante. Eu gostei bastante da história, de toda a criatividade da autora, por isso estou pretendendo ler essa série também.
Mas eu quis abandonar a leitura. Apesar de a história ser bastante original, eu lutei para terminar. Esperava mais, confesso. Mas quando eu terminei de ler foi o suficiente para eu querer ler o próximo. Os últimos capítulos são os mais legais, por isso se você estiver lendo esse livro e não estiver gostando, sugiro que faça uma forcinha e vá até o final.
Deitada na cama, com o corpo e a alma machucados e cansados, percebo que os Funcionários têm razão. Assim que você deseja uma coisa, tudo muda. Agora eu quero tudo. Mais e mais e mais. Quero escolher meu trabalho. Casar com quem eu escolher. Comer torta no café da manhã e correr numa rua de verdade, não num rastreador. Ir rápido quando quiser, e devagar quando quiser. Decidir quais são os poemas que eu quero ler e quais as palavras que eu quero escrever. Há tanta coisa que eu quero. Sinto isso com tanta intensidade que sou água, um rio de quereres, recolhido na forma de uma garota chamada Cassia.1
Sobre a Autora
Ally Condie é uma ex-professora de Inglês do ensino médio que largou a profissão para se tornar mãe em tempo integral. A partir daí, começou a escrever por hobby. Antes de Destino, ela publicou cinco outros romances para jovens. Ela vive com o marido e seus três filhos num subúrbio em Salt Lake City, Utah. Destino é o primeiro livro de uma trilogia.

EM CHAMAS – SUZANNE COLLINS

Nome: Em Chamas
Autora: Suzanne Collins
Série: Jogos Vorazes – Livro 2
Páginas: 413
Editora: Rocco
Classificação: 5/5

Cuidado! Spoilers do primeiro livro!

Depois de ganhar os Jogos Vorazes, competição entre jovens transmitida ao vivo para todos os distritos de Panem, Katniss agora terá que enfrentar a represália da Capital e decidir que caminho tomar quando descobre que suas atitudes nos jogos incitaram rebeliões em alguns distritos. Dessa vez, além de lutar por sua própria vida, terá que proteger seus amigos e familiares e, talvez, todo o povo de Panem.

Katniss e Peeta, afinal, ganharam os jogos. Agora eles vivem na Aldeia dos Vitoriosos com suas famílias e são os astros de toda Panem. Não passam mais fome, nem nenhuma dificuldade. A vida deles melhorou bastante. Mas será que continuaria desse jeito?
O modo como eles venceram, despertou algo há muito escondido entre cada um dos habitantes do país: revolta. Katniss fez, literalmente, acender a fagulha para que tudo começasse. E isso fez com que o presidente Snow não ficasse muito satisfeito e começasse a ameaçar a garota.Durante o livro 2, os distritos estão se preparando para a 75ª edição dos Jogos. Segundo as regras iniciais dos Jogos, há cada 25 anos as regras mudavam. Com 25 anos, no 1º Massacre, os distritos escolheriam seus tributos. Com 50 anos, o segundo, 4 tributos iriam para a arena. E agora no terceiro, depois de tudo que ocorreu na 74ª edição, algumas coisas iriam mudar.
E como se não bastasse, nossa pobre protagonista ainda tem que suportar mais. Eu falo de ela continuar tendo que fingir ser apaixonada por Peeta, que certamente gosta muito dela. O problema é: o coração dela não se resolve. Por mais que esteja fingindo, existe aquela coisa mais forte por Peeta, ao mesmo tempo que tem por Gale. Mas ela tem que deixar Gale um pouco de lado pra poder continuar com seu teatrinho de casal loucamente apaixonado para a Capital.
Mais forte do que nunca, nossos personagens do distrito 12 estão mais maduros e a história se desenvolve melhor do que no primeiro livro. A insatisfação deles com o jeito com que a Capital controla os distritos está cada vez mais aparente, o que pode acarretar em alguns problemas.
Intenso desde o começo até o final. É só como eu posso descrever esse livro. Suzanne Collins mais uma vez com sua escrita que não te deixa largar o livro, nos leva novamente a Panem e nos faz presenciar cenas ainda mais fortes. Eu, particularmente, gostei mais do que de Jogos Vorazes. Se você achou que o final de Jogos Vorazes foi bom, o de Em Chamas é surpreendente. É daqueles que deixa você louco pelo terceiro livro, como eu fiquei. Se você não leu ainda a série, não sabe o que está perdendo. Realmente uma das melhores séries YA já lançadas.

A única coisa em que consigo pensar é nos corpos flácios de nossas crianças em nossa mesa de cozinha, enquanto minha mãe receita o que os pais não têm condições de dar a elas. Mais comida. Agora que somos ricos, ela manda um pouco para elas levarem para casa. Mas antigamente, com muita frequência, não havia nada a ser dado e a criança não tinha como ser salva. E aqui na Capital eles vomitam pelo prazer de encher seus corpos ininterruptamente. Não por causa de alguma enfermidade do corpo ou da mente, nem por causa de alguma comida estragada. É o que todo mundo faz numa festa. É o que é esperado. Faz parte da diversão.

Sobre a Autora

Suzanne Collins nasceu nos Estados Unidos. Ela começou sua carreira escrevendo para programas infantis no canal Nickelodeon. Seus livros repetiram o sucesso dos roteiros. Ela vive com a família em Connecticut.

ÁGUA PARA ELEFANTES – SARA GRUEN

Nome: Água Para Elefantes
Autora: Sara Gruen
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Classificação: 4/5

Desde que perdeu sua esposa, Jacob Jankowski vive numa casa de repouso, cercado por senhoras simpáticas, enfermeiras solícitas e fantasmas do passado. Por 70 anos Jacob guardou um segredo. Ele nunca falou a ninguém sobre os anos de sua juventude em que trabalhou no circo. Até agora. Aos 23 anos, Jacob era um estudante de veterinária. Mas sua sorte muda quando seus pais morrem num acidente de carro. Órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir, ele deixa a faculdade antes de prestar os exames finais e acaba pulando em um trem em movimento – o Esquadrão Voador do circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra. Admitido para cuidar dos animais, Jacob sofrerá nas mãos do Tio Al, o empresário tirano do circo, e de August, o ora encantador, ora intratável chefe do setor dos animais. É também sob as lonas dos Irmãos Benzini que Jacob vai se apaixonar duas vezes: primeiro por Marlena, a bela estrela do número dos cavalos e esposa de August, e depois por Rosie, a elefanta aparentemente estúpida que deveria ser a salvação do circo. Água para elefantes é tão envolvente que seus personagens continuam vivos muito depois de termos virado a última página. Sara Gruen nos transporta a um mundo misterioso e encantador, construído com tamanha riqueza de detalhes que é quase possível respirar sua atmosfera.

Jacob sempre foi um filho exemplar, daqueles que os pais se orgulham. Queria ser veterinário, pois, assim como seu pai, Jacob amava animais. Foi então que durante o último dia de provas do último semestre da faculdade, ele recebeu a notícia da morte de seus pais em um acidente de carro. Inconsolável, ele resolveu abandonar tudo e começou a andar sem rumo.
Jacob, perdido e sem ter para onde ir, estava passando pelos trilhos do trem quando, como se fosse coisa do destino, os vagões do Circo dos Irmãos Benzini, O Maior Espetáculo da Terra, cruzou seu caminho. Num impulso de quem não tem muito o que fazer, o rapaz se lançou para dentro de um dos vagões, sem saber o que lhe aguardava.
Depois de conhecer algumas pessoas, ele pediu ao dono do circo que desse a ele um emprego. Ele passou a trabalhar recolhendo estrume, mas depois que descobriram que ele era veterinário, o chefe do setor dos animais, August, resolveu fazer com que ele cuidasse dos bichos que trabalhavam no circo.
O que ele não esperava era conhecer Marlena, a mulher de August e estrela do espetáculo. Ele ficou encantado desde a primeira vez que a viu. Sempre muito bondosa com os animais, simpática com as pessoas e talentosa, Marlena nunca teve nada que não fosse o circo, pois ela deixou os pais depois de cair na lábia de August e casar com ele. Tudo ia bem até ela conhecer o nosso protagonista da história e é a partir daí que começam os problemas.
O sentimento entre Jacob e Marlena vai crescendo à medida que você vai avançando na leitura. Muitas dificuldades eles passam, tanto pessoais quanto entre eles dois. Jacob sempre sendo tratado como um nada nas mãos de Tio Al, o dono do circo; Marlena, ora sendo bem tratada, ora não, pelo seu marido que parece ser duas pessoas em uma só. E o casal tendo que enfrentar tudo isso e mais alguma coisa para poderem ficar juntos. A elefanta que aparece na história é super fofa. Chamada Rosie, ela aparentemente é estúpida, não obedece ninguém. Mas parece que ela consegue entender Jacob. Porque será? Tanto o rapaz quanto Marlena parecem se apaixonar por aquele animal tão grande mas tão doce. Ela própria faz algumas cenas serem bem engraçadas.
A autora descreveu o universo dos circos de antigamente e de alguns atuais também, com uma riqueza de detalhes impressionante. Desde os bastidores até a hora do espetáculo. Eu, particularmente, me sentia naquele lugar, andando pelos vagões do circo, vendo todos aqueles animais, muitos deles doentes, vivendo em condições precárias, sem comida nem água, muitas vezes. Vendo os trabalhadores bêbados e sujos quase que o tempo todo. Tudo e todos em uma situação deplorável.
Narrado em primeira pessoa pelo próprio Jacob, Água para Elefantes é com certeza um livro que possui uma leitura agradável e é daqueles que despertam vários sentimentos. Ver o sofrimento dos animais me tocou profundamente, por isso que não gosto de circos em que tenham eles como atrações, pois, na maioria das vezes, eles são mal tratados. E o amor entre Jacob e Marlena é daqueles que ultrapassa qualquer barreira e é uma daquelas histórias que ensina que vale a pena lutar pelo o que você quer.
Sobre a Autora
Nascida do Canadá, Sara Gruen é autora de dois outros livros ainda não publicados no Brasil, Riding Lessons e Fling Changes. Ela vive em Chicago, com o marido, três filhos, quatro gatos, dois cachorros, duas cabras e um cavalo.

IDENTIDADE ROUBADA – CHEVY STEVENS

Nome: Identidade Roubada
Autora: Chevy Stevens
Editora: Arqueiro
Classificação: 5/5

Era para ser um dia como outro qualquer na vida de Annie O’Sullivan. A corretora de imóveis levanta da cama com três objetivos: vender uma casa, fazer as pazes com a mãe e não se atrasar para o jantar com o namorado. Naquele domingo, aparecem poucas pessoas interessadas em visitar o imóvel. Quando Annie está prestes a ir embora, uma van estaciona diante da casa e um homem sorridente vem em sua direção. A corretora tem certeza de que será seu dia de sorte. Mas o inferno está apenas começando. Sequestrada por um psicopata, Annie fica presa durante um ano inteiro em um chalé nas montanhas, onde vive um pesadelo que deixará marcas profundas.

Annie estava tendo uma vida relativamente boa. Tirando o trauma que ela tinha da morte de sua irmã e de seu pai e de desde pequena saber que sua mãe gostava mais de sua irmã, ela era consideravelmente bem sucedida no emprego de corretora de imóveis, tinha um ótimo namorado e uma melhor amiga fiel.
Mas certo dia, quando ela já estava finalizando seu dia de trabalho, um homem bastante simpático pede para ela lhe mostrar a casa. O que ela não esperava é que esse homem iria mudar sua vida para sempre.
Esse simpático homem mostra que não está lá para comprar casa nenhuma, mas, sim, para fazer algo pior: seqüestrar Annie. Assim, sem mais nem menos. Ela fica o tempo inteiro se perguntando porquê aquilo estava acontecendo com ela, porque ele que seqüestraria um simples corretora de imóveis.
Durante o seqüestro ela é mantida em um chalé no meio de uma mata fechada, obrigada a passar por momentos muito humilhantes e a seguir regras absurdas. Uma delas é que ela só poderia ir ao banheiro em um certo horário, caso contrário o Maníaco – nome pelo qual ela chama o seu seqüestrador no livro – a faria beber água da privada. Além disso, ainda tinha que tomar conta de todos os afazeres domésticos e toda noite ter que deixar o seqüestrador dar banho nela para depois ser estuprada.
Eu não tinha como me proteger, nem como sair. Era precisava me preparar para o pior, mas eu nem sequer sabia o que o pior poderia ser.
O Maníaco era daqueles que tudo tinha que ser na hora certa. Nem um minuto a mais, nem a menos. E era bipolar. Uma hora ele aparecia feliz, sorridente e na outra ele tinha um ataque de fúria. É daqueles que se a outra pessoa pisa fora do limite um pouco, ela já pode se preparar para o pior.
O livro é o relato de Annie sobre seus 365 dias de sequestro à sua terapeuta, onde cada capítulo é uma sessão da terapia. E à medida que vamos avançando na leitura, percebemos o quanto aquele seqüestro atingiu todos os aspectos da vida dela e como ela vai superando cada obstáculo para tentar se curar do trauma.
E já que estamos acertando os ponteiros, vamos estabelecer algumas regras básicas antes de começarmos nossa brincadeira. Vai ter que ser do meu jeito. Isso quer dizer que você não vai perguntar nada. Nem mesmo “Como se sentiu quando blá-blá-blá…?”. Vou contar a história desde o começo e, quase quiser ouvir sua opinião, eu peço.
Ah! E, caso queira saber, não, nem sempre fui uma pessoa amarga.
Dizer tudo o que eu senti durante a leitura desse livro é difícil. Pena, revolta, tristeza.. Principalmente esse último, por saber que muitas mulheres já passaram por isso ou passam até hoje. Algumas vezes eu sentia tudo o que ela sentia, mas tenho certeza de eu não foi nem metade do que realmente é passar por toda essa aflição.
O final é surpreendente. O livro no seu total é surpreendente. Ver o quanto Annie conseguiu ser forte até nas vezes que qualquer um já teria perdido as esperanças, é fantástico. Com certeza uma das melhores leituras do ano. Recomendo para todos que são fortes, pois é uma leitura que vai ficar marcada pra sempre em sua memória.