MONSTER HIGH – LISI HARRISON

Nome: Monster High
Autora: Lisi Harrison
Páginas: 383
Editora: iD
Classificação: 3.5/5

Este é o primeiro livro de uma nova série, em que a High School (ou ensino médio, para nós) é vista de uma maneira diferente: os “monstros” e os chamados “freaks” também querem ser populares, namorar e ter seu lugar garantido no mundo dos normais, ou “normies”.


Salem não é uma cidade igual às outras: no meio dos humanos (normies) vivem os Irados, monstros que se disfarçam para poderem ter uma vida normal e não causar nenhum tipo de pânico nas pessoas, como acontecia antigamente.

E é nessa cidade que Frankie Stein, uma Irada que foi construída em laboratório há apenas 15 dias pelo seu pai e é neta do famoso Frankiestein. Com quinze anos de idade, ela foi criada já com todas as informações necessárias para se viver no mundo dos adolescentes, desde Justin Bieber até as tendências da moda. Com a pele verde-menta e eletrizante (literalmente), Frankie nunca quis ter que se disfarçar para viver no mundo dos normies, mas ela vai descobrir que a situação é mais complicada do que parece.
Simultaneamente uma outra história acontece. Melody, uma normie que está se mudando de Bervely Hills para Salem com seus pais e sua irmã patricinha, terá que se adaptar a uma nova cidade e a uma nova escola. Ela não teve uma boa experiência em sua outra escola com relação à sua aparência e ela não se sente muito confiante. É com essa baixa-estima que ela vai perceber que existem pessoas que olham além do que parece ser.
Várias situações diferentes, algumas até engraçadas, começam a acontecer com as personagens. Enquanto Frankie tenta convencer os Irados de que eles precisam se mostrar para o mundo do jeito que são, Melody tenta lidar com seu namorado Jackson, um nerdgato que é um pouquinho diferente dos outros garotos.
Com os capítulos alternados entre Frankie e Melody, Monster High tem uma história bastante original e acaba se tornando um bom passatempo. Confesso que não estava muito animada pra ler esse livro. Achei o começo um pouco chato, mas num é que depois ficou bem legal? Tirando pequenas partes em que eu faltava não agüentar com a “patricite aguda” de algumas meninas, o livro tem uma história bem fofa. Tanto é que o final me deixou apreensiva. Não imaginei que terminaria daquele jeito. Recomendo para quem gosta de livros voltados para o público teen, onde pode se encontrar de tudo um pouco do mundo dos adolescentes.

Sobre a Autora

Quando vivia em Nova York, Lisi Harrison trabalhava na MTV, criando e desenvolvendo shows. Vivendo em Laguna Beach, Califórnia, ela também está trabalhando no volume final da série ALFAS, que também está sendo publicada pela iD Editora.

ANNA E O BEIJO FRANCÊS – STEPHANIE PERKINS

SÉRIE: Anna, Lola e Isla – Livro 01
EDITORA: Novo Conceito
NÚMERO DE PÁGINAS: 286
ANO DE LANÇAMENTO: 2011
TÍTULO ORIGINAL: Anna and the French Kiss
ISBN: 9788563219329
AUTOR: Stephanie Perkins

Os links para compra gerarão ao blog uma comissão sobre as vendas.**
Livro recebido em parceria com a editora.

Anna é uma garota como muitas outras: tem suas amizades, paixonites, pais separados e é fanática por cinema. Forçada pelo pai a ir estudar por 1 ano em outro país que, segundo ele, iria ser uma ótima experiência para ela, Anna se vê na França cujo país ela conhece muito pouco. Ela vai estudar num internato, a SOAP, School Of America In Paris, e lá ela conhece Meredith e seu grupo de amigos – Josh, Rashimi e St. Clair, com quem logo faz amizade.

Isso é tudo o que eu sei sobre a França: Madeline, Amélia e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com a Guerra da Bastilha.

St. Clair, um rapaz bonito, companheiro e educado, é o que mais a encanta, dentre todas as pessoas que conhece. Nascido nos EUA, morando na França e com sotaque inglês, Étienne St. Clair começa a se aproximar de Anna e acabam se tornando melhores amigos. Só que as coisas começam a se complicar quando eles percebem que o coração está batendo mais forte do que o normal quando se encontram. E é aí que mora o perigo, pois St. Clair tem namorada.

É em meio a cenários parisienses maravilhosos que a história de Anna Oliphant e Étienne St. Clair se desenrola e se torna uma daquelas que você não consegue mais largar até virar a última página. Com momentos engraçados e tristes, você fica torcendo assiduamente para que o casal dê certo no final.

– Eu gosto de você – ele diz. 
Meu corpo fica tenso. […]
– Você gosta de mim? – St. Clair pergunta. […]
Sim, St. Clair. Eu gosto de você. 
[…]
Mas, uma vez mais.. é St. Clair. Bonito, lindo, perfeito, maravilhoso…
Ótimo. Isso é simplesmente ótimo.
Ele vomitou em mim.

A autora descreve os pontos turísticos da cidade de uma forma simples, com a qual você passa a se sentir na própria cidade, andando pelas ruas parisienses e respirando todo o romantismo da Cidade Luz. Quando eu terminei a leitura, me fez querer mais ainda fazer meu intercâmbio, onde, como a Anna, vou conhecer novas culturas e respirar novos ares.

Contada em primeira pessoa pela própria protagonista, Anna e o Beijo Francês é uma história divertida e gostosa de ler. Possui personagens engraçados e envolventes, daqueles que duram até muito depois que você termina a leitura. Recomendo a todos que desejam ler uma boa história romântica daquelas em que pode acontecer com qualquer um de nós.

Beijos e boas leituras! :*

EU SOU O NÚMERO QUATRO – PITTACUS LORE

Nome: Eu Sou o Número Quatro
Autor: Pittacus Lore
Páginas: 350
Editora: Intrínseca
Classificação: 5/5

Nove bebês aliens estão se escondendo entre os seres humanos, eles fugiram de seu planeta natal, Lorien, para se esconder na Terra. Uma espécie invasora, os Mogadorians, destruíram seu planeta, e seguiram eles a Terra para caçá-los. Cada um dos nove aliens é dado a um tutor para desenvolver seus poderes sobre-humanos enquanto se tornam adultos e lhes são atribuídos números. Estas últimas crianças de Lorien só pode ser mortas na sequência de seus números.

Há dez anos atrás, o Planeta Lorien estava sendo invadido pelos Mogadorianos, uma raça de assassinos cruéis que queriam destruir o planeta e seus habitantes. Nove Cêpans – crianças destinadas a terem poderes como invisibilidade, controle do tempo, etc – e seus guardiões (Gardes), foram enviados à Terra para buscarem refúgio e escaparem do massacre.
Contudo, isso não foi o suficiente para se esconderem dos inimigos. Os Mogadorianos agora estão na Terra, à procura das nove crianças, mas eles só poderão matá-las na sequência de seus números, conseqüência de um feitiço lorieno.
A história do livro é contada pelo o número Quatro, dentre essas crianças. Como todas elas, ele e seu guardião, Henri, vivem indo de cidade em cidade procurando escapar do menor sinal dos Mogadorianos por perto, principalmente agora em que os três primeiros Cêpans morreram e ele é o próximo da lista.
John Smith, como agora é chamado o Quatro na sua nova cidade, Paradise, é um rapaz quieto e determinado, o que me fez gostar muito dele. Na escola ele conhece Sarah que, na minha humilde opinião, é a personagem mais sem-sal do livro. Achei até lindinha as partes em que eles estavam juntos, mas teve momentos em que ela atrapalha! É irritante. Em compensação, John faz um amigo, Sam, que é corajoso e fofíssimo. Adorei ele.
O livro tem uma narrativa boa, rápida e simples. É daqueles em que você não consegue parar até terminar! Não sei porque demorei tanto pra ler esse livro e agora que li não me arrependi em nenhum momento. E a personagem que eu mais gostei do livro é uma mulher que aparece lá pelo final, que é a mais legal de todas.
Os Legados de Lorien, como é chamada a série, já tem continuação que se chama The Power Of Six e não vejo a hora de lançarem aqui no Brasil. Enfim, recomendo a leitura pra quem gosta de uma história com muita ação e voltada para o lado da ficção científica e recomendo que assistam o filme, que também é muito bom

O CASO LAURA – ANDRÉ VIANCO

Nome: O Caso Laura
Autor: André Vianco
Páginas: 270
Editora: Rocco
Classificação: 3/5

O Caso de Laura conta a história de um detetive particular contratado para investigar os encontros que Laura mantém com um homem misterioso. Inicialmente, as gravações das conversas da protagonista com o estranho não revelam nada de espetacular; mas quando o investigador passa a seguir o enigmático sujeito, revelações conduzem a narrativa para o desfecho.

O Caso Laura é um romance policial em que Marcel, um detetive particular, é contratado por uma pessoa anônima para seguir Laura, uma restauradora de imagens sacras, que estava se encontrando com um rapaz misterioso chamado Miguel, o qual era quase como um melhor amigo para a mulher. Simultaneamente, uma outra trama acontece, onde Alan, um policial, é chamado para resolver o caso do assassinato de uma garota por um traficante de drogas.
Ao seguir Miguel, o rapaz com quem Laura se encontrava, o investigador percebe que o rapaz some misteriosamente ao entrar em uma casa que não tem janelas, nem passagens secretas ou algo que daria alguma chance de fuga. Enquanto isso, na outra trama, Alan enfrenta vários criminosos junto com Gabriela, uma agente da Corregedoria, afim de encontrar o assassino da garota, cuja morte ele está investigando, e vingá-la  (o que, para mim, é a melhor parte do livro).

Laura é uma personagem que passou, e passa ainda, muita dificuldade na vida, e aquelas que passaram deixaram marcas que ficarão para o resto da vida. Sendo uma dessas dificuldades a doença do pai que o deixa totalmente debilitado em uma cama de hospital, em alguns momentos ela tenta afastar a tristeza com a ajuda de sua amiga Simone. Laura é uma mulher misteriosa, de forma que o leitor fique curioso para saber mais sobre ela.

Depois de se conhecerem, Marcel e Laura ficam perdidamente apaixonados um pelo outro. O estranho é a rapidez com que o rapaz se apaixona por ela, pois eles só se “encontraram” uma vez. Depois de várias coisas acontecerem e de ocorrerem mais encontros, a mulher também fica louca de amor por Marcel. Eu esperava ver alguma dificuldade para eles ficarem juntos, que poderia dar um clima melhor ao livro, mas não.
Esse é o primeiro livro que li do André Vianco. Confesso que eu esperava mais. A história, como um todo, é interessante, com seus altos e baixos. A conclusão do livro foi no mínimo estranha, eu não esperava que tudo se resolveria da maneira que foi resolvido. Me surpreendeu. Conheço pouco sobre o autor, mas pelas obras que ele lançou deu para perceber que ele não conseguiu deixar o seu próprio estilo, de forma que o sobrenatural começa a aparecer na história.
Algumas coisas me incomodaram durante a leitura, por isso demorei mais tempo do que o previsto para ler, como os parágrafos muito grandes, o que tornou a leitura um pouco cansativa. Também teve uso de vários palavrões e de algumas expressões da mesma forma como nós falamos no dia-a-dia como “tô”, “cê”, “tou”, etc.
De uma forma geral a história é bastante interessante. Acho que o autor poderia ter explicado algumas coisas do livro de uma forma melhor, mesmo que isso fosse adicionar mais algumas páginas à obra. Em certo momento, mais precisamente no relacionamento de Laura com o pai, eu me identifiquei bastante, pois também sou muito apegada ao meu e não conseguiria imaginar passar pelo sofrimento que ela passou com o pai doente. No final, o autor deixa uma mensagem bem legal, pelo menos pelo meu ponto de vista, e esse foi um dos pontos positivos que mais me faz dizer que a leitura valeu à pena.
Recomendo o livro para todos que gostam de uma boa trama policial com um toque de sobrenatural. Como um todo eu gostei do livro e pretendo, sim, ler outras obras do autor, pois muitas delas são super bem recomendadas, como a série Bento.